O Futuro do Alimento

A sequência de edições do Simpósio Latino Americano de Ciência de Alimentos, desde 1995, nos dá o privilégio, a nós pesquisadores, de contar com um observatório de desenvolvimento da área de Alimentos, com impacto na indústria de Alimentos, com a importância social e econômica da área de Alimentos, com abrangência nacional e internacional.

Como podemos observar, a inovação nos setores de alimentos e agricultura pode incluir novos processos tecnológicos, embalagem, novos aditivos em alimentos, etc. Novas soluções estão sendo demandadas, seja para reduzir ou prevenir mudanças causadas por microrganismos, oxidação dos componentes dos alimentos e reações enzimáticas e não enzimáticas.

Entretanto, alimentos mais saudáveis e nutritivos devem ser produzidos com incremento das propriedades organolépticas. Pois, ao lado desta preocupação dos consumidores, cada vez mais informados, aqueles devem proporcionar o prazer ao serem consumidos.

A Ciência de Alimentos como base para a Tecnologia e Engenharia de Alimentos deve ser considerada, tendo em vista as transformações pelas quais passa a sociedade moderna e os requerimentos da população mundial.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) estima-se que 30% da população mundial global é malnutrida. E é estimado que entre 2020-2022 toda a União Européia consumirá menos alimentos que China e India juntos.

Nesse contexto, Brasil pode desempenhar papel cada vez mais relevante na área de Alimentos no cenário internacional. A enorme diversidade de Alimentos, de Norte a Sul do país, a presença de cursos de Pós-graduação e Graduação na área de Alimentos (Ciência, Tecnologia e Engenharia de Alimentos) de nível internacional, a Indústria de Alimentos forte e atuante, nos indicam que há um cenário altamente desafiador a ser trabalhado.

De acordo com as transformações sociais e geopolíticas pelas quais passam os países, novos desafios devem ser considerados, tais como relatam grandes grupos industriais mundiais de Alimentos (Programa da FAO Fome Zero, Saúde e Bem-Estar, Responsabilidade) na produção e consumo de alimentação, efeito do clima, busca de novas fontes alimentares não convencionais, novas formas de produção de alimentos in natura e processados, o impacto do alimento funcional e a sua correlação com saúde, era digital e seu impacto nas relações de consumo, etc.

Brasil e outros países da América Latina podem e devem interagir mais, para de forma consorciada, buscar soluções inovadoras, troca de experiências e desenvolvimentos da NOVA Indústria de Alimentos.

Este é o principal objetivo do 13 SLACA trazer informações relevantes para o entendimento do que vem a ser a fronteira do conhecimentos na área de Alimentos, entender suas implicações e traçar os rumos da pesquisa e do desenvolvimento industrial.

Sejam todos Bem-Vindos!

  • Português
  • English